Sindrome do Olho Seco x uso do computador

O Olho Seco, também conhecido como “Síndrome da Disfunção Lacrimal”, representa um conjunto de sinais e sintomas que se caracterizam pela instabilidade do filme lacrimal. Segundo vários autores esta condição é uma das mais freqüentes na prática oftalmológica, podendo estar relacionada até 20% das consultas e acometendo de 15% a 40% da população geral, sendo as mulheres e os idosos os mais atingidos.

Durante o exame, o médico Oftalmologista, com a utilização de métodos específicos, pode-se observar uma diminuição no tempo de rotura do filme lacrimal, representado pela não homogeneidade da lágrima na superfície ocular. Já os sintomas são apresentados de formas diversas na população, caracterizando uma alteração da superfície ocular que pode ser descrita desde um desconforto ocular, ardência até um quadro de dor intensa.

Observamos ainda que algumas situações do mundo moderno, tal como o uso excessivo do computador pode levar a “Síndrome da Disfunção Lacrimal”. Estudos mostram que ocorre uma diminuição do número de piscadas naqueles usuários de computador. Fato que se deve à um mecanismo de atenção que se ativa quando estamos em frente ao computador e que se denomina “atenção ativa” – mecanismo esse que tem a capacidade de inibir o mecanismo autônomo do pestanejar (piscar), comprometendo a distribuição e a qualidade do filme lacrimal e podendo gerar alterações da superfície ocular. Esse mecanismo resulta num desequilíbrio dos componentes da lagrima e gera um estado de olho seco do tipo evaporativo.

Lembrar que olho seco pode ser a falta de produção da lágrima e/ou uma má qualidade da lágrima e que leva aos sintomas de ardor, irritação, sensação de areia nos olhos, dificuldade para ficar em lugares com ar condicionado ou em frente do computador além de olhos embaçados ao final do dia, fotofobia e sensação de peso nas pálpebras .

Essa causa de olho seco que se caracteriza pela hostilidade do ambiente é um problema crescente podendo levar a queda no padrão de produtividade de trabalho e rendimento profissional além de se mostrar como uma queixa que pode ser freqüente e que compromete a qualidade de vida.

O acompanhamento desses pacientes se torna importante ao longo do ano, sendo necessário avaliação oftalmológica periódica, que busca a prevenção, esclarecimentos quanto a patologia e resolução do quadro através de prescrições médicas (quando se faz necessário o uso de lubrificantes – “lágrimas artificiais”, além de outras medicações que fazem parte do arsenal oftalmológico para esses casos) e orientações ao paciente.

Dicas

- Posicionar o monitor na altura ou abaixo da linha dos olhos.

- Colocar um recipiente com água nos ambientes para aumentar a umidade relativa do ar.

- A cada hora em frente ao computador, realizar uma pausa de pelo menos dez minutos.

- Evitar ambientes com características hostis, tal como ar condicionada ou aquecedores em funcionamento excessivo.

Dr. Henrique S. Baltar Pazos - médico oftalmologista, Fellow de córnea do Instituto Dr. Suel Abujamra e Diretor científico da APOS, Associação dos Portadores de Olho Seco.

Dr. Pedro Antonio Nogueira Filho - médico oftalmologista, Fellow de córnea do Instituto Dr. Suel Abujamra e membro da APOS, Associação dos Portadores de Olho Seco.

Voltar

Fechar [x]

Área Médica:

Digite o usuário para receber um e-mail com sua senha.